terça-feira, 23 de agosto de 2011

Violão é sempre violão...

Olá pessoal, hoje tenho o prazer de lhes mostrar o resultado da reforma de um violão muito muito antigo.

Aconteceu mais ou menos assim:

Há muito tempo atrás, um amigo meu foi à minha casa para pegar emprestado uma revista de música, e tinha nas mão a carcaça de um violão velho e muito estragado. Daí perguntei o que ele ia fazer com aquilo, e ele me respondeu que ia jogar fora... O violão era um tonante dos anos 70, semi-acústico, de madeira maciça. Bem, é claro que eu não deixei ele jogar fora...  Apesar de de ser um violão tonante (que não é conhecido por ter boa qualidade), fiquei muito feliz quando escutei pela primeira vez o som que saiu quando fiz o primeiro acorde. Vou escolher uma música especial para gravar com ele...

Até a próxima...






3 comentários:

  1. Boa noite!
    Eu não sei se você ainda tem esse violão, mas eu acabo de adquirir um. Tudo original, inclusive as tarraxas redondas. Queria saber se você tem mais informações sobre ele, som, etc..
    obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Olá, obrigado por seu comentário! Ainda tenho sim. Não me desfaço dele! Bom, quanto às características técnicas, isso vai depender de muita coisa... No caso deste violão da postagem, ele é de Madeira maciça, e tem um som bem metálico! As vezes até uso ele com slide, de tanto que o som parece com im violão ressonator... Os archtops tem um som que preenche e alem disso, são bonitos! A minha próxima aquisição deste tipo com certeza será o godin 5th avenue. Se você não conhece este, dá uma pesquisada que acho que você também vai gostar muito!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pela resposta, Alisson.
    Eu levei ele a um amigo luthier, e ele fará as pequenas restaurações que ainda tem a fazer. Suspeito que o Cordal não seja original, apesar do meu também ter vindo com um, correto?

    Você utiliza cordas de nylon, né?

    Acredito que essa semana eu pegarei com ele, aí ouvirei o som.

    O seu tem o adesivo que indica o modelo? Fiquei bastante curioso para descobrir o ano de fabricação. Esse luthier trabalha com instrumentos desde 1972, e diz que já pegou um desses para reforma anos atrás. Confirmou ser tonante e da década de 70, mas suspeito ser da década de 60. Já até passou pela minha cabeça que se tratava de um Del Vecchio, mas não tem chances, ou tem?

    Novamente, obrigado pela resposta! Aguardo contato, pois eu estava pensando em vendê-lo, mas como você disse que não se desfaz do seu, talvez valha a pena eu ficar com ele.

    ResponderExcluir